O que é physis na filosofia?

O termo “physis” (ou “phusis”) é uma palavra de origem grega que se refere à natureza ou ao mundo natural. Ela desempenha um papel importante na filosofia grega antiga, especialmente na filosofia pré-socrática, que foi uma das primeiras tradições filosóficas na Grécia.

Para os filósofos pré-socráticos, a physis representava a ordem fundamental e a substância subjacente de todo o universo. Eles estavam interessados em compreender as causas e princípios que governam a natureza e o cosmos, e a physis era vista como o objeto de estudo central de suas investigações filosóficas.

Physis em Aristóteles

Em Aristóteles, physis representa o princípio de vida e movimento de todas as coisas existentes. Segundo o estagirita:

A natureza é o princípio e a causa do movimento e do repouso da coisa a qual ela inere primariamente e por si, e não por acidente.

Física, II, 1, 192b 20

Assim, a physis (natureza) adquire o sentido de forma, substância ou essência. Um objeto manifesta sua natureza quando atinge sua forma, quando se torna perfeito em sua substância.

Physis entre os sofistas

Para os sofistas, nomos e physis representam conceitos opostos. Nomos (lei ou costume) equivale aquilo que é socialmente construído, e physis aquilo que é universal e objetivo.

Essa oposição conceitual se torna mais evidente quando se trata de questões sobre a justiça. Na obra “Sobre a Verdade” de Antifonte de Atenas, argumenta-se que a justiça está relacionada ao nomos, e que nomos e physis frequentemente entram em conflito. De acordo com essa perspectiva, devemos obedecer às regras da justiça (nomos) quando há testemunhas presentes, mas seguir as leis da natureza em outras situações.

Ao mencionar “natureza”, Antifonte parece se referir ao que é inerente a todos os seres humanos, independentemente de sua origem (gregos ou bárbaros). Ao seguir essas leis naturais, alcançamos o que é benéfico para nossa própria existência: vida, prazer e liberdade.

A ideia de se seguir a natureza como uma regra normativa representa a influência mais significativa do pensamento sofístico. Tanto Platão quanto Aristóteles fundamentaram suas éticas e filosofias políticas em sua compreensão da natureza humana, vendo-a em sintonia com a natureza do cosmos e do divino. Posteriormente, Epicuro e os Estoicos argumentaram que uma vida boa é aquela vivida em conformidade com a natureza (kata phusin).

Physis

Referências

ABBAGNANO, Nicola. Dicionário de Filosofia. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

BARNEY, Rachel. Nomos and Phusis (Encyclopedia of Philosophy).

NEWSLETTER

Um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

sete + 15 =

  1. Muito bem explicado, tô estudando sobre isso no momento e deu pra pegar muito bem sobre o que é, a physis como tal objeto de estudo representa algo importante a ser estudado já que desempenha um papel também ético.