fbpx

Passagem do mito ao Logos

A passagem do mito ao Logos refere-se a evolução do pensamento mítico para o racional, marcando, ao mesmo tempo, o surgimento da Filosofia.

Pensamento míticoPensamento racional
Narrativas mitológicas sobre a origem de povos ou fenômenos naturais.Busca por explicações racionais e lógicas.
Baseada em histórias e divindades.Baseada em observação crítica, análise e razão.
Xamãs, sacerdotes, poetas, contadores de mitos.Filósofos gregos como Tales, Anaximandro.
Característica entre o pensamento mítico e o racional.

O que é mito e Logos?

O mito (μυθος) é uma narrativa tradicional que contém elementos sobrenaturais e simbólicos que busca explicar aspectos da natureza, da sociedade e da existência humana. Na antiguidade, o mito era usado para explicar as origens do mundo, dos animais, bem como os eventos climáticos, como tempestades e terremotos. Os mitos também eram utilizados para explicar a vida após a morte e a relação entre os seres humanos e os deuses. Além disso, os mitos desempenhavam um papel importante na justificação da ordem social e política.

Os mitos frequentemente apresentavam os deuses como modelos de comportamento e como exemplos a serem seguidos pelos seres humanos. Também eram utilizados para justificar a posição dos reis e dos governantes, apresentando-os como descendentes dos deuses ou como escolhidos por eles para governar.

O Logos (λόγος), por sua vez, é um termo grego que se refere à razão, ao discurso lógico e à argumentação racional. Embora ambos sejam formas de explicação e interpretação do mundo, o mito é baseado na tradição, na crença e na imaginação, enquanto o logos é baseado na razão, na observação e na lógica.

Veja também: Qual é a diferença entre mito e filosofia?

Do mito ao logos: contexto histórico

A passagem do mito ao Logos representa a transição na qual o homem rompeu com as explicações míticas do mundo, adotando as explicações baseadas na razão, lógica e observação.

Esta passagem levou séculos para se consolidar, mas tivemos, como resultado, o desenvolvimento da filosofia, ciência e da cultura ocidental como um todo.

Um dos fatores que contribuíram para a passagem do mito ao logos foi o surgimento da filosofia grega no século VI a.C. Os filósofos gregos, do período pré-socrático, Tales, Anaximandro e Anaxímenes, buscaram, pela primeira vez, explicar o mundo por meio da observação e da razão.

O desenvolvimento do comércio e das cidades no mundo grego também foi um fator importante no surgimento da filosofia. O contato com outras culturas criou novas oportunidades de interação e de troca cultural, levando a uma maior diversidade de perspectivas e ideias.

Esses filósofos foram os pioneiros na busca por uma explicação racional e sistemática do universo, sem recorrer aos mitos ou à religião. Eles inauguraram uma nova forma de pensamento, que viria a ser desenvolvida pelos filósofos posteriores.

NEWSLETTER

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × 3 =