Antifonte de Atenas

Biografia

Antifonte foi um filósofo sofista nascido em Atenas no século IV a.C. A maior parte das informações sobre sua vida é incerta.

Pseudo-Plutarco, em Vida dos dez oradores, fala sobre sua juventude, relatando sua estadia em Corinto, onde Antifonte teria se dedicado a um tipo de terapêutica que visava curar o desgosto e sofrimento humano. Ao perceber que esta prática terapêutica não estava à sua altura, ele teria se dedicado à retórica.

Há um enorme debate sobre a identidade de Antifonte, pois havia um outro, chamado Antifonte de Ramnunte, um famoso orador, que aparece em Tucídides como um dos responsáveis pelo golpe de Estado dos Quatrocentos, e que foi autor de uma coleção de exercícios retóricos chamados de Tretalogias.

As fontes antigas, portanto, sugerem duas personagens diferentes: o Antifonte sofista, e o Antifonte orador e político.

Alguns argumentaram haver diferenças doutrinárias entre ambos: o Antifonte orador, é um adepto conservador da lei e um aristocrático; enquanto o Antifonte sofista, é um anarquista igualitário radical.

Obras

Antifonte de Antenas escreveu as obras:

  • Sobre a Verdade;
  • Político;
  • Concórdia;
  • Sobre a interpretação dos sonhos;
  • Artes da Retórica
  • A arte da libertação da dor

O pensamento de Antifonte

Segundo Giovanni Reale, a oposição entre natureza (lei natural) e lei positiva que o filósofo sofista Hípias de Élis teria feito, Antifonte radicaliza-a ainda mais.

Antífonte identifica, em termos eleáticos, a natureza com a verdade, e a lei positiva com a opinião (doxa).

A lei da natureza, diz ele, deveria ser seguida até quando ela transgredisse as leis dos homens.

Ideal cosmopolita

Assim como Hípias, Antifonte também defende um ideal cosmopolita, ele defende que todos os homens são iguais por natureza, sem distinção de origens.

Com isso, ele quebrava a ideia de superioridade que os gregos nutriam; cada povo, cada cidadão é igual ao outro, não poderia haver distinção entre gregos e bárbaros; pela natureza, todos os homens são iguais: todos possuem as mesmas necessidades naturais, os mesmos sentimentos, etc.

Sobre a Justiça

Em Sobre a Verdade, Antifonte defende que os sistemas jurídicos nasceram do acordo entre os homens, pois temiam um caos social em caso de um conflito, por isso, criaram leis e normas.

Para Antifonte, a justiça seria apenas o cumprimento e o respeito dado às leis promulgadas pelo estado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

15 − 10 =