Orígenes

Orígenes foi o pioneiro entre os pensadores cristãos a buscar uma síntese rigorosa entre a filosofia grega, especialmente a filosofia platônica, e a fé cristã.

Ele descobriu nas doutrinas filosóficas gregas uma ferramenta valiosa para interpretar de forma racional as doutrinas cristãs reveladas nas escrituras.

Biografia

Orígenes foi um filósofo e teólogo cristão que nasceu em Alexandria, por volta do ano 185, em uma família de cristãos egípcios. Seu pai, Leônidas, tornou-se mártir da fé em 202.

Origines estudou com Clemente de Alexandria e com Amônio Sacas, filósofo neoplatônico e mestre de Plotino.

Em 203, Orígenes assumiu a liderança da prestigiada Escola Catequética de Alexandria, a qual havia sido fundada por Panteno.

No ano de 231, o bispo Demétrio convocou um concílio com o propósito de excomungar Orígenes, devido à sua autocastração e à sua estreita ligação com as doutrinas da filosofia platônica. Em decorrência dessa condenação, Orígenes deixou Alexandria e partiu para a Palestina, onde foi bem acolhido. Em Cesareia, na Palestina, ele estabeleceu sua própria escola.

Faleceu em 253, depois de ser detido e submetido a torturas devido às perseguições contra os cristãos, que foram ordenadas pelo imperador romano Décio.

Os ensinamentos de Orígenes foram temas de intensos debates e controvérsias. Algumas de suas ideias foram condenadas pelo imperador Justiniano e pelos concílios de Alexandria (400) e Constantinopla (533). Essas condenações levaram à perda de grande parte de seus escritos. Entre as obras que sobreviveram, destacam-se “Os Princípios,” “Contra Celso” e seus comentários sobre o Evangelho de João.

Orígenes
Ilustração holandesa de Jan Luyken (1700), mostrando Orígenes ensinando seus alunos.

Deus e a doutrina da santíssima Trindade

Orígenes é reconhecido por sua sistematização da doutrina da Trindade, dogma que se tornou um dos pilares da fé cristã.

Segundo Orígenes, é inadequado considerar Deus Pai algo como um sopro ou dotado de um corpo, como sustentavam os estóicos. Na verdade, Deus é um ser de natureza intelectual e espiritual, sendo, portanto, incorpóreo. Deve-se ressaltar também que a essência de Deus transcende as capacidades da mente humana. Deus é o Ser que concede existência a todas as coisas e é a personificação absoluta da Bondade.

Jesus Cristo, o Filho unigênito de Deus, é a segunda pessoa da Trindade que personifica a sabedoria divina. Nele estavam presentes, sob a forma de Ideias, tal como na teoria platônica, todas as criaturas que viriam a existir.

Não é correto afirmar que o Filho foi criado do mesmo modo que as outras criaturas. Na verdade, o Filho foi gerado ab aeterno e tem a mesma natureza do Pai. No entanto, Orígenes afirma que o Filho é subordinado ao Pai. Por fim, o Filho é, verdadeiramente, Deus e homem.

O Espírito Santo, terceira pessoa da Trindade, é igualmente Deus, e sua função é caracterizada pela ação santificante.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × 1 =