Leucipo

Leucipo de Abdera foi um filósofo grego pré-socrático conhecido como o fundador da teoria atomista.

Para ele, o átomo é arché, princípio constitutivo de todas as coisas.

Biografia

Leucipo nasceu na cidade de Abdera (ou em Mileto) por volta do século V a.C. Ele foi contemporâneo de Sócrates e Anaxágoras, e de acordo com Diógenes Laércio, teria sido discípulo de Zenão de Eléia.

Leucipo teria se associado à filosofia de Parmênides, porém acabou por trilhar um caminho diferente da filosofia eleática.

Leucippus, por Luca Giordano
Leucippus, por Luca Giordano, 1652.

Pouco se sabe sobre sua vida, e alguns filósofos antigos, como Epicuro e os modernos estudiosos da filosofia antiga, como Erwin Rohde, acreditam que ele nem sequer existiu.

No entanto, Aristóteles afirma que Leucipo foi o criador da teoria dos átomos (atomismo), e fundador, portanto, da escola atomista, a última escola pré-socrática. A doutrina atomista foi também desenvolvida por seu discípulo Demócrito.

Obras

Leucipo é creditado como autor de duas obras:

  • O Grande Sistema do Mundo;
  • Sobre o Espírito;

No entanto, apenas um fragmento da sua obra Sobre o Espírito é conhecido:

Nada deriva do acaso, mas tudo de uma razão e sob a necessidade.

O átomo como arché

Ilustração de um átomo
Átomo: a essência da matéria. Imagem de Tomislav Jakupec, via Pixabay.

Os filósofos pré-socráticos tinham como objetivo definir um princípio (arché) que explicasse a origem de todas as coisas, e para Leucipo de Abdera, esse princípio era o átomo. Segundo sua teoria, os incontáveis átomos — partículas invisíveis — movem-se no vazio.

As partículas extremamente pequenas, conhecidas como átomos, são indivisíveis, daí seu nome, que em grego significa literalmente “não-divisível”. Para Leucipo, os átomos são a essência da matéria, sendo que cada um é geometricamente diferente do outro.

Segundo a teoria atomista, os átomos são incriados, imutáveis e indestrutíveis. Os atomistas compartilhavam a visão de Parmênides de que o não-ser não existe e acreditavam que o nascimento e a morte eram processos nos quais os átomos se agregavam ou se separavam.

Cosmologia

Leucipo
Leucipo
Gravura de linha por Beyssent.

De acordo com Leucipo, os mundos são compostos por uma variedade de átomos com formas diversas, que se unem no imenso vazio. Quando se juntam, formam um único turbilhão e, em seguida, passam por processos de união e separação.

Alguns átomos se movem em direção ao espaço vazio exterior, enquanto outros permanecem no centro. A partir daí, eles se unem e se solidificam para formar uma estrutura esférica.

O universo, que é ilimitado, possui uma parte cheia e outra vazia, que ele denomina de elementos. Todas as coisas são de natureza ilimitada, que se transformam umas nas outras.

O espaço vazio é preenchido por corpos. Quando os corpos se movem pelo vazio, misturam-se e dão origem aos mundos. A partir do movimento e da aglomeração desses corpos, surgem também os astros.

Teoria da Percepção

Leucipo de Abdera elaborou uma teoria para explicar o processo da percepção humana.

Para ele, a percepção e o pensamento são gerados por meio de modificações do corpo, e em consequência de pequenas imagens, compostas de átomos, que nos vêm de fora.

Referências

BORNHEIM, Gerd A. (Org.) Os filósofos pré-socráticos. São Paulo: Cultrix, 1998.

NEWSLETTER

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × 1 =